Liesel and Corinne's room

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Liesel and Corinne's room

Mensagem por Funebribus em 27th Julho 2014, 12:04


404 room


D
evidamente organizado e muito bem decorado. O quarto 404 comporta o mais luxuoso dentre todos do instituto. É carregado de objetos pessoais, dois closet's, uma TV, uma mesa de canto com DVD, dois tablets, e muito mais. É espaçoso, poderia abrigar facilmente cinco pessoas, caso as regras permitissem. Liesel e Corinne eram espaçosas, e precisavam de bastante coisa, então seus pais fecharam um acordo milionário com o diretor da instituição, sem que ninguém soubesse. Não era permitido quaisquer tipo de mudança em nenhum cômodo, mas, graças a uns dólares a mais, a ruiva e a morena conseguiram tal feitio.






I'm waking up, I feel it in my bones. Enough to make my systems blow. Welcome to the new age, to the new age. Whoa, whoa, I'm radioactive, radioactive.
------------ ▼
Administradores
Mensagens :
320

Data de inscrição :
06/04/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Liesel and Corinne's room

Mensagem por Convidado em 5th Agosto 2014, 10:50


WTF?
Dois dias depois do acontecimento, ainda estava um pouco abalada com a cena que havia prestigiado, acho que todos, pelo menos os que não haviam sumido repentimente, estavam chocados com o que haviam visto. Havia acordado cedo, naqueles dois dias, não conseguia dormir quase nada, o que atrapalhava o meu sono de beleza. Permaneci alguns segundos em minha cama, logo quando decido me levantar, ergo meu corpo e percebo que Esye se encontrava ausente em nosso quarto. Franzi minha testa quando me perguntava onde Liesel poderia estar. Finalmente me dou por em pé e caminho até o banheiro para fazer minha higiene matinal. Depois que trouxe uma pequena, mas fria, quantidade de aguá em meu rosto aquela imagem novamente apareceu em minha mente "Srta. Blake.". Olhei para meus braços, alguns cortes haviam surgido em meu corpo enquanto o restante dos cacos de vidro caiam sobre todo mundo. Soltei um grande bufo e me virei de costas para o espelho e caminhando para voltar ao meu quarto. - Ai! Que susto Esye! Você e sua péssima mania de aparecer do nada como se fosse um fantasma ou um assasino em série se preparando para atacar sua próxima vitima. - Disse num tom meio rude, não havia percebido o quando suspeito aquelas palavras que lançara para Liesel havia soado.

all rights for rufo
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Liesel and Corinne's room

Mensagem por Convidado em 5th Agosto 2014, 11:26

words have power.
Enquanto me esgueirava pelos corredores do Instituto, podia sentir meu sangue correndo pelo meu corpo. Era como se seu rastro fosse puramente feito de gelo. Estava mais pálida que o normal, não comia nada a dois dias. Vinha enganando a fome com água. Mas espera. Que fome? Desde o dia do baile de boas vindas, a única coisa que eu conseguia ingerir, era água. O que não passava de um mínimo gole, para sustentar meu corpo pelo máximo de horas que poderia. Como estudante de medicina, sabia que isso estava me prejudicando, prejudicando meu metabolismo e forças vitais. Eu precisava de vitaminas, ferro, e tudo o que eu pudesse absorver. Mas, eu não aguentava. O simples pensamento de ingerir algo me dava repulsa, e uma ânsia de vômito incontrolável. A senhorita Blake havia sido morta.

Enquanto olhava para os lados, procurando por algum sinal de vida por ali, me dei conta das horas. Ainda não passava das cinco da manhã. Minha mente dava voltas em torno de fatos de pouco menos de setenta e duas horas atrás, enquanto discutia com a professora de história em um lugar escuro do camping. Algumas pessoas nos viram, viram a forma em que ela gritava e soava rude. Totalmente fora de sua postura sempre certinha. No momento, eu só pensava no que Piérre sempre dizia. Eu tinha o dom de tirar as pessoas do sério. E isso era uma dádiva. Mas não agora. Piérre fora o único a se aproximar de nós, e enquanto eu sorria desafiadoramente para senhora, ele nos encaminhou para longe daqueles olhares, e logo depois sumiu, nos deixando a sós. Tive a impressão de ter visto uma silhueta semelhante a de Corinne, mas não tenho certeza disso. Minha melhor amiga me acusaria dessa forma?

— Cuidado com o que me diz, senhorita Blake. Palavras tem poder, e logo elas podem se virar contra você. — Esta é a última coisa que lembro de ter dito.

■□■

E com um barulho estranho, me dei conta de que já estava dentro do dormitório que dividia com Corinne. Ela estava na minha frente, sua expressão não era das melhores. E suas palavras me fizeram ter um pequeno retrocesso mental. Eu apenas observava o corpo desprovido de vida despencar do telhado, como se aquilo não me importasse. E realmente, não importava. Fechei os olhos por um momento, tirando a jaqueta que usava desde o dia da festa. Precisava tomar um banho urgente, trocar as roupas, me livrar de tudo.

— Então você deveria tomar mais cuidado, Rin. — Sibilei, encarando-a perigosamente. — Porque se eu fizesse isso, você estaria morta sem nem saber quem te causou isso. — Me encaminhei até o banheiro, batendo a porta.

Claro, Corinne nunca me irritava, mas, suas palavras pareciam fazer todo o sentido. Eu me sentia culpada, apesar de que o fato não me afetava tanto. Eu só precisava de um bom banho, e esfriar a cabeça. Ouvi resmungos vindos do lado de fora do banheiro, e revirei os olhos. Cerca de quase uma hora depois, finalizei o banho e vesti minhas roupas. Calça jeans, blusa vermelha, uma jaqueta bege e botas de cano curto com salto 18cm marrom. Prendi os cabelos em um rabo de cavalo alto, perfeito. Estava grande, não me lembrava de outra época em que tivera deixado as madeixas crescerem tanto. Suspirei, abrindo a porta, e dando de cara com Corinne de braços cruzados em frente a porta. Dei um passo para trás, automaticamente levando uma das mãos até seu pescoço, erguendo seu corpo do chão. Eu tinha um modo de defesa perigoso, e se não tivesse prestado atenção suficiente para perceber que era ela, teria lhe machucado.

— Pelo amor de Deus, seja mais cuidadosa! — Esbravejei.

Soltei, mas antes, prestei atenção em seus braços. Estavam avermelhados e um tanto inchados, com cortes superficiais. Apontei a cama para ela, e fui pegar o kit médico no deeper do banheiro. Agilmente lhe fiz curativos mínimos, sabendo de sua vaidade extrema. Antes de fechá-los, passei cicatrizantes para que curassem o mais rápido possível.

— Você está bem? — Perguntei por fim, sem demonstrar o quanto estava preocupada com ela sozinha no dormitório.
CREDITS @
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Liesel and Corinne's room

Mensagem por Convidado em 5th Agosto 2014, 12:31


WTF?
Depois de ser quase morta por estrangulamento por Liesel, mas não poderia colocar toda a culpa em Esye, eu sabia que qualquer um passaria por aquela situação se tentasse assusta-la, então eu também tinha minha percela de culpa. a ruiva me manda para a cama, logo havia percebido meus ferimentos, então a obedeci, até porque mais cedo ou mais tarde eu iria pedir a sua ajuda, já que a ruiva estuda medicina. - Depende, essa pergunta foi para o estado fisico ou psicologico, porque se eu tiver que escolher um dos dois, e juro que vou me arrepender de dizer isso, mas prefiro o estado fisico. Eu nunca havia visto um cadaver antes e nunca pensei que se eu tivesse que ver um, seria o da Srta. Blake. - Disse enquanto Esye cuidava dos meus ferimentos, talvez eu não devesse pensar naquilo, mas estava tendo uma leve suspeita de Liesel, afinal, todos já haviam presenciado uma discussão séria entre as duas e Liesel havia desaparecido antes do cadaver cair do céu. Mas eu conhecia Liesel muito bem, ela não poderia ter sido responsavel de tamanha atitude. - Falou com Skyler e Piérre? Aqueles dois passaram dos limites na festa. Eu tentei mandar uma mensagem para eles, mas fiquei sem bateria e não me lembrei de colocar meu celular para carregar.- Lembrei-me que Piérre também não estava no local quando tudo aquilo aconteceu, onde ele estaria naquele momento?

all rights for rufo
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Liesel and Corinne's room

Mensagem por Convidado em 5th Agosto 2014, 13:28

words have power.
Observando bem a forma em como Corinne vinha agindo, eu deduzia que o ocorrido no baile havia mexido com ela. E de uma forma extrema, o que me impressionava. Porém, não tanto. Rin era casca grossa, poderia vestir uma máscara facilmente, e andar pelos corredores despejando grosserias e praticando atos que a colocariam no topo da lista de pessoas a quem se deve temer. Sabia disso, já que a acompanhava neste topo, junto a Piérre e Skyler. Até hoje tentava entender o que fazia as pessoas me temerem. Era a frieza? Respirei fundo. Eu deveria ser a única pessoa daquele lugar que não estava preocupada com o que havia acontecido com a professora. Também não era pra menos. Por dois dias, sumi do Instituto. Por dois dias, soube que estava sendo apontada como uma das principais suspeitas de ter cometido o assassinato. E assim que piso no lugar em que eu deveria me sentir salva de tantas acusações, a garota que chamava de melhor amiga dava continuidade ao que estavam fazendo, apenas com um olhar. Palavras tem poder, mais um olhar, diz tudo o que o ser humano tenta camuflar. O último ditado da última aula de história da senhorita Blake fazia sentido. E como.

Me encaminhei até o espelho, encarando meus próprios olhos. Estavam em um tom raro. Dourados, com uma mancha verde ao redor das íris. Eu estava mais tensa que o comum, e não sei se estava com cabeça o suficiente para assistir as aulas do dia. Como estudava a noite, tinha que pensar no que fazer. Já havia faltado um dia, já que o dia anterior havia sido suspenso, para que os policiais pudessem agir sem impecílios. E claro, eu deveria ir até a diretoria com Piérre, dar esclarecimentos.

— Entendo. — Foi tudo o que eu consegui dizer a Corinne.

Olhei seu reflexo pelo espelho. Ela realmente estava péssima. Me senti desconfortável por um momento. Eu deveria estar ao seu lado, ela parecia não ter dormido direito, se é que ela dormiu. Olhei para fora do dormitório, a janela estava aberta, podia ver o reflexo de pássaros brincando nas árvores. O dia parecia tranquilo, por mais que o clima no Instituto fosse contrário a isso.

— Você precisa focar em outra coisa, Corinne. Ou vai enlouquecer. Nada que pense ou faça, ou até mesmo que sinta, não vai trazer Penélope Blake de volta. E não. Não falei com nenhum dos dois. — Chamei a ex professora pelo nome, demonstrando que sabia muito sobre ela.

Minhas palavras haviam sido gélidas e insensíveis. Mas, generalizando todo o caso, eram a mais pura e versátil verdade absoluta.
CREDITS @
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Liesel and Corinne's room

Mensagem por Convidado em 7th Agosto 2014, 10:38


WTF?
- É, você está certa. Estresse leva ao mau humor e o mau humor leva a rugas. - Terminei admirando meu reflexo no espelho com uma cara meio triste. Okay, depois daquelas pequenas palavras que haviam saido da boca de Esye, senti um arrepio gelado que fez os pelos de meus dois braços ser erguerem. Por mais que Liesel havia sido fria, ela estava certa. Mas franzi a testa quando Liesel pronunciou o nome do cadaver, terminamos de dar um jeito em meus ferimentos, me levanto e procuro uma roupa adequada para o dia e que combinasse com meu humor. Estava pronta. Me viro para Esye e digo. - Vamos? - Me dirigindo a porta e a abrindo.

all rights for rufo
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Liesel and Corinne's room

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum